Obesidade Infantil

Compartilhar:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Quais as consequências do sobrepeso excessivo para um corpo que está em formação?

É considerada obesidade infantil, quando a relação entre o peso e a altura da criança dá uma massa corporal igual ou acima de 30. Na prática, por exemplo, uma criança de oito anos que mede um 1m 25 cm e pesa 33, já está com grau de obesidade. No Brasil, a obesidade atinge 30% das crianças e adolescentes. 

Entre as causas para obesidade infantil estão: fatores genéticos, fatores hormonais, desmame precoce, dieta desbalanceada e a falta de exercícios físicos. Na maioria dos casos, os fatores de comportamento são muito mais comuns do que as causas genéticas. 

Como consequência do excesso de peso, podem surgir problemas ortopédicos, respiratórios, diabetes, hipertensão arterial e dislipidemias. ” Uma das queixas muito comuns em crianças que estão acima do peso ideal é a dor no joelho. Mesmo quando a criança não gosta de fazer exercício físico, sempre tem a aula de educação física na escola, e correr com quilos a mais pode influenciar no resto do corpo”, diz Dr. Rogério Vidal.” Para compensar, muitas vezes as crianças mudam o jeito de pisar e aí o reflexo se estende para os ossos da perna, quadril e coluna, além da musculatura”, completa. 

Outra preocupação é com a idade óssea da criança.” Muitas vezes o sobrepeso acelera os hormônios e a maturidade óssea descompensa com relação à idade,” alerta Dr. Rogério. Um exame de raio-x do pulso, por exemplo, pode indicar se estão compatíveis.  

Quando pais suspeitam que seu filho está em sobrepeso ou mesmo obeso, já é o momento de procurar médicos que possam ajudá-lo. Se a criança está gordinha e reclama de dores ao fazer exercícios físicos, fica cansada com uma caminhada mais longa ou mais rápida, esse é o momento. Quanto mais cedo começar a lidar com o problema, melhores são os resultados”, ressalta Dr. Rogério. ” As crianças, em geral, se mostram mais abertas às mudanças na dieta e a reeducação alimentar fica mais fácil a longo prazo. Mas cabe à família insistir e participar, dando o exemplo. O mesmo vale para as atividades físicas, que precisam ser divertidas e envolver a criança.” Uma boa dica é fazer aula teste em diferentes atividades até que ela encontre uma com a qual se identifique, mas é importante que o ortopedista indique aquelas que ela tem condições de fazer, com riscos menores de lesões por conta do sobrepeso. 

JÁ VAI EMBORA?

Assine nossa news para ficar informado sobre nossas novidades.