Cirurgia: Rápida e com anestesia local corrige um problema de postura causado pelo desgaste dos ossos melhorando a auto-estima dos idosos

Compartilhar:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Este ano, um milhão de brasileiros sofrerão algum tipo de fratura por osteoporose. A doença, que atinge dez milhões de pessoas no Brasil, a maioria mulheres, se deve à falta de cálcio no organismo, sendo a forma mais marcante o jeito de andar curvado de pessoas mais velhas.​​

De acordo com o Ministério da Saúde, 1/3 das mulheres entre 60 e 70 anos sofre de osteoporose. Esse número sobe para 2/3 entre as mulheres com mais de 80 anos. A osteoporose é agravada por fatores genéticos e uma série de problemas de estilo de vida, como estilo de vida sedentário, dieta pobre, fumo, álcool e café em excesso. “Prevenir a osteoporose é muito mais barato e uma medida preventiva é fornecer aos ossos o cálcio de que precisam todos os dias”, diz Dr. Rogério Vidal de Lima, cirurgião ortopédico especializado em cirurgia de coluna do Hospital das Clínicas e equipe clínica do Albert Einstein Hospital. As fraturas decorrentes da osteoporose comprimem os ossos frontais da coluna vertebral, fazendo com que a coluna torácica aumente anormalmente, causando a cifose, popularmente conhecida como corcunda. A dor é intensa e uma forma de resolver o problema é a cifoplastia, um procedimento minimamente invasivo que proporciona alívio quase imediato. A técnica permite que a deformação seja corrigida.

CIFOPLASTIA:

 A cifoplastia geralmente é realizada sob anestesia local. O médico faz uma pequena incisão nas costas do paciente e usa raios-X em tempo real – um processo chamado fluoroscopia – para mover o tubo fino para a vértebra fraturada. Por meio desse tubo, o médico perfura a parte externa e dura do osso até chegar a um centro mais macio. Dessa forma, o médico constrói uma passagem estreita por onde insere um pequeno balão especial no círculo, que é inflado. Durante a insuflação, o balão valoriza os fragmentos ósseos que caíram durante a fratura, trazendo-os de volta à posição original. O objetivo é restaurar a vértebra à sua forma natural. Em seguida, o balão é desinflado e removido, deixando o defeito em seu lugar, que o médico preenche com cimento ósseo de secagem rápida. O procedimento leva de 30 a 40 minutos. Em seguida, o paciente fica deitado por cerca de duas horas. Após esse período, o paciente se levanta e caminha pela sala. Depois de uma noite no hospital, ele pode retomar suas atividades normais. 

“A imagem é encorajadora, especialmente para pacientes que desenvolveram uma deformidade cifótica significativa. A cifoplastia oferece pelo menos a oportunidade de reverter algumas das deformidades associadas a essas fraturas ‘, diz o Dr. Rogério.

COLUNA: O diagnóstico precoce da escoliose pode evitar a cirurgia da coluna vertebral

Entre os adolescentes, as meninas são as mais afetadas pelas curvaturas da coluna vertebral. A escoliose é um desvio para a esquerda ou direita da coluna vertebral, formando uma curva em forma de “S”. Pode surgir a qualquer momento da vida e por diversos motivos. 

CAUSAS:

Entre elas estão as causas congênitas, degenerativas e ideopáticas, quando a causa do desvio não foi identificada. Nesses casos, a escoliose pode aparecer na infância ou adolescência. 

TRATAMENTOS:

As formas de tratamento são variadas e dependem do grau de curvatura da coluna. Nos casos mais graves, eles podem incluir observação do paciente ou cirurgia.

Fatores como o tipo de escoliose, a faixa etária do paciente, o grau do desvio e os sintomas apresentados pelo paciente são levados em consideração na escolha do tratamento mais adequado. O tratamento cirúrgico é indicado para casos de desvio severo ou quando há alterações neurológicas caracterizadas por irradiação de dor nas extremidades inferiores, alterações na força e sensibilidade, ou alterações no controle de esfíncteres (fezes e urina)

JÁ VAI EMBORA?

Assine nossa news para ficar informado sobre nossas novidades.

Open chat